Flight Report: TAP 138 | 447


Por Lucas Coacci.

Em 11 de fevereiro de 2009 a TAP Portugal completa 1 ano de operações no Aeroporto Internacional Tancredo Neves. Esse Flight Report especial é uma homenagem do CNF ao vivo a esta grande companhia aérea, que acreditou em Minas Gerais e já colhe bons frutos. Acompanhe conosco essa viagem, que começa em Confins e termina em Faro, cidade localizada no sul de Portugal.


TAP138 | Belo Horizonte-Lisboa

Cheguei ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves por volta das 14:30 trazendo comigo três malas, duas que seriam despachadas e uma outra, de mão, com a minha câmera. Sem perda de tempo tomei o rumo do balcão de check in da TAP Portugal, localizado na ala internacional, ao lado da TAM. Havia algumas pessoas na minha frente, o que causou uma ligeira espera, mas nada que fizesse do procedimento algo muito demorado. Em pouco mais de 10 minutos já tinha toda a bagagem despachada e os cartões de embarque emitidos, tudo já com destino a Faro, dispensando outros trâmites em Lisboa.

Com os cartões na mão fui então à Receita Federal, localizada no piso mezanino, para declarar meus pertences. Apesar de naquele momento o posto estar somente com um agente, o atendimento foi rápido. Em Belo Horizonte as câmeras de 3 a 7 megapixels também precisam ser declaradas. O mesmo vale para celulares, sendo necessário declarar todos. Segui para o setor de embarque A, passando pelo raio-x e em seguida pela Polícia Federal. Aliás, cabe dizer que o aeroporto precisa de investimentos com urgência para que possa receber adequadamente um grande fluxo de passageiros internacionais. No embarque havia apenas dois aparelhos de raio-x e duas cabines de imigração. A movimentação dos passageiros da TAP se juntava ao fluxo de um vôo da Varig, com destino à Buenos Aires, e acabava gerando uma fila considerável.

Finalmente vencidas as burocracias me deparo com a tradicional sala de embarque internacional de Confins, que em quase nada mudou para se adequar a essa nova fase do aeroporto. Embora não destoe tanto dos principais aeroportos do país, sofre um pouco com limitação de espaço, que acaba impedindo que o número de assentos seja compatível com o fluxo. O free shop conta com pouca variedade e deveria ser melhorado, considerando o movimento crescente da área. A sala conta ainda com uma banca de revistas e uma lanchonete. Infelizmente esta área do aeroporto ainda deixa a desejar. Em horários como esse, onde são embarcados mais de um vôo, e principalmente naqueles operados por wide-bodies, o conforto fica comprometido.

Pontualmente às 16:15 o embarque foi iniciado pelo portão A9, convocando inicialmente os passageiros da classe executiva, que na companhia recebe o nome de TOP Executive. Na seqüência foram convocados os idosos, gestantes, mães com crianças de colo e em seguida os demais passageiros. Não houve embarque por setores, mas ainda assim tudo transcorreu normalmente e sem tumulto. O vôo TP138 com destino à Lisboa seria efetuado naquele dia pelo Airbus A330-200, matrícula CS-TOE (s/n 305), batizado como “Pedro Álvares Cabral”. A aeronave foi entregue originalmente à Novair em 1999 e desde 2006 compõe a frota da TAP. O interior ainda permanece o mesmo do último operador e a configuração atual é de 268 assentos, sendo 24 na executiva e 244 na econômica.



Havia poucos assentos vagos na econômica e somente 8 vagos na executiva, demonstrando que o vôo vem se consolidando como um importante acesso de Minas à Europa. A classe econômica traz um padrão diferente do utilizado nas aeronaves que a companhia recebeu da fábrica. Foi aplicado apenas um novo estofamento nos assentos, com as cores da TAP. A condição geral era a melhor possível. Tudo muito limpo e todos os sistemas funcionando perfeitamente. Meu assento era o 14A, janela próxima à porta 2L. Acomodei minha bagagem de mão e sentei enquanto a chefe de cabine anunciava que o embarque havia encerrado e que estávamos prontos para a partida.





Portas fechadas às 17:15 e o CS-TOE dava seus primeiros movimentos, iniciando o push back, enquanto nas telas o vídeo de instruções de segurança e emergência era exibido. Com alguns minutos de taxi chegávamos ao ponto de espera da pista 16, aguardando o pouso de um Airbus da TAM. Às 17:25 o nosso Airbus inicia a corrida de decolagem, rumo a Portugal. Com seu típico vigor, o A330-200 sobe rapidamente e em pouco tempo atingimos nosso nível inicial de cruzeiro, 36.000 pés ou nível 360. Mais tarde, com a aeronave mais leve, subiríamos para o nível final, 39.000 pés ou nível 390.


Cruzando o nível 180.



Passava das 18:00 quando a tripulação iniciou o serviço de bordo, onde seria oferecido inicialmente o nosso jantar. Como entrada, cubinhos de presunto, queijo, batata e passas. Eram duas as opções de pratos principais, sendo a primeira frango e a segunda filé ao molho madeira com arroz branco. Eu como admirador das carnes vermelhas, fiquei com o filé. Para a sobremesa a típica goiabada com queijo minas. Tudo servido em uma bandeja de plástico acompanhado de pão e manteiga. Um ponto positivo foi o uso de talheres de alumínio, fato muito raro na aviação atual, cercada de medidas de segurança e pautada na redução de custos.

A seleção de bebidas oferecida era muito variada e contava com sucos, refrigerantes, café, chá, água, cerveja e vinhos. A carta de vinhos trazia uma variedade muito boa, com um porto seco, um espumante, um branco e um tinto, todos portugueses. Para acompanhar meu prato escolhi um vinho tinto seco, muito saboroso.




O sol vai se pondo e nosso A330 vai deixando o continente rumo ao atlântico.

Após o jantar procurei distração no sistema de entretenimento, sem muito êxito. O sistema de entretenimento do CS-TOE também difere dos mais novos, não sendo equipado com o AVOD (Audio and Video On Demand). Por conta disso o passageiro não tem controle sobre o tempo da programação exibida nas telas individuais. Eram exibidos 3 filmes, além de alguns canais de áudio variado. Como os filmes já estavam em andamento resolvi dormir, aproveitando o travesseiro e a manta que a TAP oferece. O espaço entre as poltronas (pitch) e a reclinação eram razoáveis.






Passando na região da Ilha da Madeira no nível 400.

Após 7h30m de vôo de um total de 9h10m, enquanto sobrevoávamos a região da ilha da Madeira, as luzes foram acessas e a tripulação iniciou a preparação da cabine para o café da manhã, distribuindo toalhinhas quentes. Eram oferecidas frutas da estação como entrada, seguidas por um quiche de milho com bacon. Para finalizar, um muffin de baunilha com frutas cristalizadas. Tudo acompanhado de pão e manteiga.

As bebidas eram também variadas, com opções de sucos (ou sumos em português de Portugal), café, chá, leite e achocolatado. Detalhe novamente para os talheres de alumínio. Ao final do serviço foi distribuído um pequeno estojo com pasta e escova de dente.






O CS-TOE se aproxima de casa novamente.

Após o café a tripulação passou recolhendo o lixo. Já iniciávamos os procedimentos de descida para o aeroporto da Portela de Sacavém, em Lisboa. O tempo era bom e os momentos finais do TP138 foram sem grandes surpresas. Às 06:12, pelo horário de Portugal, tocamos o solo suavemente e iniciamos um longo taxi até a posição L15.

Em Lisboa a maioria dos vôos opera em posições remotas, utilizando escadas e ônibus para transporte dos passageiros até o terminal. Existem posições com equipadas com pontes de embarque, mas além de poucas elas não comportam wide-bodies. Um projeto para um novo aeroporto internacional vem sendo trabalhado. O novo terminal, a ser construído na região de Alcochete, deverá ter capacidade para até 22 milhões de passageiros/ano e cerca de 60 posições equipadas com pontes de embarque. A previsão é que esteja pronto em 2017.



O desembarque ocorreu de forma rápida pelas saídas 1L e 2L, direcionando respectivamente os passageiros das classes executiva e econômica. Do lado de fora a temperatura era agradável, com os termômetros marcando 16º C.

A TAP oferece conexão imediata para vários pontos da Europa como Paris, Londres, Roma, Milão, além de destinos domésticos como Porto e Faro. Existem ainda as chamadas “Fast Connections”, que são conexões onde o passageiro já desembarca e segue direto para outro vôo. Para isso funcionários da companhia ficam posicionados próximos à escada durante o desembarque, com placas que trazem o nome de cada cidade e indicam os respectivos ônibus. O tempo das demais conexões varia entre 1 e 2 horas.

Como a minha não era uma das “Fast”, embarquei no ônibus que nos levaria ao Terminal 1, onde é feito o processo de imigração. Por ter cidadania européia resolvi essa parte mais rapidamente, não gastando mais do que alguns minutos. Assim que se chega ao segundo andar do terminal, onde estão localizados os portões de embarque, é possível ter uma noção melhor da participação da TAP Portugal, com dezenas de vôos. Outros diversos vôos de companhias variadas também se faziam presentes. O T1 apesar de antigo passou por reformas e ficou espaçoso, além de bem decorado. Na área central podem ser encontradas inúmeras opções de alimentação e compras. O free shop é muito completo e oferece preços convidativos se comparados com o restante da Europa.


TAP447 | Lisboa-Faro

Para falar das conexões da TAP, nada melhor que experimentar. A partir de Lisboa embarcaria no TP447, com destino a Faro, cidade localizada na região de Algarve. Tomei um breve café da manhã em uma das lanchonetes do T1 e logo já fui buscar o caminho para o novo embarque. O Terminal 2 foi inaugurado em agosto de 2007 e recebe vôos da TAP e da SATA, inclusive aqueles para o interior de Portugal. Fica um pouco distante do T1 e por isso utiliza-se ônibus para o translado. Ao chegar fica claro que se trata de uma solução provisória em um aeroporto saturado. O terminal assemelha-se mais a um grande galpão, mas com muitos assentos e um free shop médio. Como quase todas as conexões da TAP para a Europa e interior de Portugal são extremamente rápidas, o embarque do vôo TP447 com destino a Faro já havia iniciado.

Esta é uma etapa bem curta, com apenas 30 minutos de vôo. Para cumpri-la naquele dia a companhia reservou o Airbus A319-100 CS-TTQ (s/n 629), batizado como “Agostinho da Silva”. Configurada em duas classes esta aeronave foi fabricada em 1996 e está na TAP desde 2006. Seu interior está bastante conservado e os assentos são bastante confortáveis.



Às 09:30 embarquei e tomei meu assento, o 18F, outra janela. Push back iniciado às 10:03 e taxi 5 minutos mais tarde devido à partida de outra aeronave da companhia. Nesse horário o aeroporto de Lisboa fica muito congestionado, já que opera com apenas uma pista e o horário coincide com a maioria das partidas internacionais, inclusive do TP139 para Belo Horizonte. Aliás, esta jornada de volta você confere em breve por aqui.



Depois de aguardar cerca de 20 minutos, finalmente às 10:41 decolamos. A saída reserva um visual muito interessante de todo o litoral próximo a Lisboa, com suas pontes e castelos. Em instantes estávamos estabilizados. O vôo é tão curto que os sinais para afivelar os cintos nem se quer são apagados. Nessa etapa também não há serviço de bordo.





Pouco tempo depois iniciamos a decida para o Aeroporto Internacional de Faro, com uma belíssima aproximação sobrevoando as praias do litoral sul de Portugal e passando por Faro, Albufeira, Olhão, Santa Eulália entre outras.








Final da pista 10 de Faro.





Tocamos o solo em uma maravilhosa manhã de outono europeu. Taxiamos e cortamos na posição 14, tendo ao nosso lado um Boeing 757-200WL da TUI Fly.





O desembarque foi muito rápido em menos de 5 minutos já estávamos indo para as esteiras de bagagem. O deslocamento até o desembarque é feito através de esteiras rolantes. O aeroporto de Faro é um típico aeroporto de cidade turística, mas muito moderno com pontes de embarque duplas e amplo espaço para aeronaves de todos os portes. O interior não deixa a desejar, com uma fenomenal sala de desembarque e inúmeras esteiras de bagagem. Não fica devendo a nenhum aeroporto de grande porte.

Avaliação:

Reserva: Excelente.
O bilhete eletrônico facilita bastante. Não foi por acaso que virou tendência.

Check-In: Bom.
Praticamente sem fila e atendimento simpático. Talvez com mais balcões a espera fosse menor.

Embarque: Bom.
Da parte da TAP Portugal a única ressalva fica por conta da ausência do embarque por setores, que organiza a agiliza o processo. O outro ponto a ser melhorado é a estrutura internacional de Confins, que deixa um pouco a desejar. Em Lisboa apesar do T2 não ser um exemplo ele cumpre de forma eficiente sua função.

Assento: Bom.
No A330 CS-TOE os assentos estão um pouco distantes daqueles das aeronaves mais novas, mas não deixa de ser bom. Já no A319 CS-TTQ são muito confortáveis.

Entretenimento: Razoável.
Um sistema oferecido em um vôo de longa duração não pode deixar de ser variado e “on demand”. No CS-TOE as opções de filme e música são muito restritas e ficam piores sem controle de tempo. A revista de bordo é bem feita, mas não substitui as opções de áudio e vídeo.

Serviço dos comissários: Excelente.
A TAP conta um time bastante experiente. Souberam servir com simpatia e eficiência.

Refeições: Bom.
Boas opções e boas apresentações. Só não combinou muito comer com talheres de alumínio e tomar o vinho em taça de plástico, principalmente se tratando de uma companhia portuguesa.

Bebidas: Excelente.
Opções variadas e bem selecionadas.

Desembarque: Excelente.
Tanto em Lisboa quanto em Faro o processo foi muito rápido e sem qualquer tumulto.

Pontualidade: Bom.
Por parte da TAP tudo dentro dos estimados, mas novamente prejudica pela infraestrutura. É cada dia mais urgente a construção de um novo aeroporto para Lisboa. Será uma longa espera até Alcochete em 2017.


A chegada da TAP Portugal em Belo Horizonte foi sem dúvida um dos melhores acontecimentos das últimas décadas. Uma ligação non stop com a Europa facilita bastante as viagens, e sendo uma companhia com este know-how a experiência fica ainda melhor. A TAP está de parabéns por acreditar em Minas Gerais e por trazer um serviço de qualidade. Quando Lisboa puder contar com um novo e moderno aeroporto tem tudo para se firmar como um dos principais portais de entrada para o velho continente. A TAP Portugal faz muito bem a parte dela.


© CNF ao vivo. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial.

4 comentários:

Luiz disse...

Valeu Lucas, excelente FR, o retorno realmente ja esta sendo aguardado.

Rodrigo disse...

Valeu galera do CNF ao vivo muito bom esse FR eheheheheh e parabéns a TAP por 1 ano de operação aqui em BH e tomara que dure muitos anos.
Abraços!

Junio disse...

Maravilha de Fr bem completo o qeu nos dá uma idéio ótima de como é voar por esta cia.

Gabi disse...

Olá! Seu blog é ótimo!

Vc vai postar a volta?

:)