Chile com a Snow Adventure



O CNF ao vivo, em parceria com a Snow Adventure, traz toda a beleza e sofisticação desse destino cada vez mais procurado pelos mineiros. Embarque conosco numa completa viagem ao Chile, a bordo de um fretamento exclusivo com a LAN Airlines, e conheça a maior estação de ski da América do Sul.


13.09.2010 - Texto e fotos por Igor Fontes. CNF ao vivo.


Conforme combinado para aquele 19 de julho, cheguei ao aeroporto um pouco antes do horário marcado para o início do check-in. Assim, pude conferir a estrutura montada pela LAN e equipe Snow Adventure – foram disponibilizadas duas posições de check-in onde normalmente são atendidos os voos da TAP, assim formando duas filas de passageiros. A primeira impressão que tive é que aquilo tomaria muito tempo. Engano meu. Pontualmente às 23:00, o check-in se iniciou e um funcionário da LAN passava distribuindo as etiquetas de bagagem, enquanto um outro, os cartões de embarque já impressos. Desta forma, só nos restava fazer a identificação e despachar a mala, agilizando o processo.


Check-in bem organizado pela equipe da LAN.


Check-in (esq.) e equipe da Snow Adventure posando junto com a equipe LAN.


Tripulação do voo LAN1351.

Em seguida fui à sala da Receita Federal preencher o formulário de saída temporária de bens, essa que retrata um pouco a carência de infraestrutura do nosso aeroporto. Apesar de estar vazia no momento, fica evidente que no horário de saída dos voos para Miami e Lisboa, que movimentam mais passageiros, a situação é outra.

Tendo realizado todos esses procedimentos, me restou despedir dos amigos do CNF ao vivo que me acompanhavam e seguir para o embarque, já no horário indicado no cartão. Pela primeira vez, pude conferir as mudanças realizadas no embarque internacional. Há uma área maior para as filas da inspeção por raio-x, que conta com duas máquinas. Além disso, houve um aumento no número de cabines da Polícia Federal, permitindo assim que eu resolvesse todos os trâmites em menos de um minuto. A sala de embarque, apesar de maior, parece estar na conta certa para um voo. Com todos os passageiros do nosso voo esperando ali, haviam poucas cadeiras desocupadas. Lá pude conferir mais perto a aeronave que cumpriria o nosso voo. Tratava-se do Airbus A320 matriculado CC-COM. Fabricado em 2001, teve apenas o grupo LAN como operador.

À 01:23, o funcionário Carlos Alves, da LAN de Guarulhos, fez a primeira chamada para o voo – gestantes, idosos e pessoas com dificuldades de locomoção. Um minuto depois, chamou os passageiros com assentos marcados entre as fileiras 15 e 28. Organizadamente, o embarque se iniciou e, ao contrário do que geralmente vemos nos nossos aeroportos, os demais passageiros permaneceram assentados aguardando a próxima chamada, que não demorou. Passados três minutos, todos os passageiros eram convidados para embarcar.



Embarque e o Airbus A320 na posição 08 em Confins.

A fim de tirar fotos do embarque, fui o último a embarcar. Na porta éramos recepcionados pelas simpáticas chefe de cabine Paula Pinochet e comissária Natalia Hipp. Como esperado, a aeronave já se encontrava lotada, com 160 passageiros.

Acomodei-me no meu lugar marcado, 7J, corredor. Os assentos da família A320 da LAN têm revestimento de couro como padrão e encosto para cabeça com regulagem de altura – esses que traziam cabeçotes personalizados com o logotipo da operadora Snow Adventure no nosso voo. Além disso, a aeronave possui sistema de entretenimento audio-visual que consiste em 12 canais de som (sendo 2 deles para a programação exibida nas telas, tanto em espanhol quanto inglês) e telas de vídeo sob os assentos, trazendo programação variada além de exibir as instruções de segurança e vídeos institucionais da LAN e Governo do Chile.

Todos embarcados, ainda aguardávamos o término do reabastecimento de combustível, que se encerrou às 01:53, e também a entrega dos documentos de voo pelo despachante operacional. Durante esse tempo, as comissárias entregaram os formulários de imigração e alfândega. O comandante Paulo Lisana também se apresentou pelo sistema de som, informando o tempo estimado de voo, que seria de 4h45 com pouso em Santiago às 06:00 (ou 07:00 no horário de Brasília), além da previsão do tempo na capital chilena para aquele dia, céu claro com possibilidades de chuva a partir das 11:00 e consequentemente neve nas cordilheiras.



A comissária Natalia Hipp e a chefe de cabine Paula Pinochet.

Às 02:06 as portas eram fechadas e o nosso push-back iniciado. A partir desse momento foram exibidas as longas instruções de segurança em inglês e espanhol. Nosso taxi foi feito rapidamente e logo estávamos alinhados prontos pra decolar pela pista 16 de Confins. Decolamos às 02:25, no perfil da saída Confins 1 transição MAVIK. Tão logo cruzamos 10.000 pés de altitude, os avisos de atar cintos foram apagados e as comissárias passaram distribuindo um copinho com balas de caramelo àqueles que desejassem.

Logo em seguida veio o serviço de bordo: Prato quente (nhoque de batatas com molho de frango), pão, manteiga e torta de chocolate. Para beber havia a opção de vinho – chileno 35 Sur Cabernet Sauvignon e Sauvignon Blanc, Coca-Cola normal e light, sucos de maçã e laranja, cerveja, whisky Ballantines, água e café. O nhoque, apesar de trazer a tradicional aparência pálida de comida de avião, não estava nada mal. Detalhe para os talheres de metal, raros no mundo pós-11 de setembro. As comissárias ainda passaram oferecendo outra rodada de bebidas após esse serviço.

Terminado o serviço de bordo, a maioria dos passageiros já estava dormindo e dessa forma as telas de entretenimento, que exibiam algum seriado que não reconheci, foram recolhidas. Assim dormi até acordar com o aviso de cruzamento dos Andes, com a recomendação de manter os cintos afivelados durante o trajeto. Nesse momento o comandante nos trouxe as informações dos trechos que sobrevoavamos naquele momento. Valle Nevado, El Colorado e a cidade de Santiago ao fundo, todos ao lado esquerdo da aeronave. Também informou nosso estimado de pouso (que seria em 20 minutos, exatamente às 06:00, como programado) e a temperatura, que na hora era de 3 graus.

Nosso pouso foi suave, pela pista 17L com uma frenagem forte porém com uma grande distância percorrida, fato curioso. A chefe Paula nos confirmou as informações passadas mais cedo pelo comandante: 06:00 e 3 graus. Em 5 minutos já estávamos parados na posição 22, prontos para o desembarque.

O desembarque foi tranquilo, no organizado e amplo Aeroporto de Santiago, que mesmo após ter sido bastante danificado pelo terremoto em Janeiro, continua mais funcional que qualquer aeroporto brasileiro. Um ponto negativo fica por conta do sistema de calefação, que não foi restabelecido completamente. Uma longa e gelada caminhada nos aguardava até a imigração.

Apesar da fila grande, os processos foram bem rápidos e logo já estava na área de restituição de bagagens, onde as malas já nos aguardavam. Como um diferencial, ainda dentro da sala de desembarque, a equipe da Snow Adventure orientava os passageiros de forma bem organizada a tomarem seus traslados a seus respectivos destinos. Assim, ao saírem da sala, já saberiam exatamente para onde ir e assim evitar o assédio dos taxistas – o que na minha opinião, é o grande ponto fraco do aeroporto.


Desembarque no Aeroporto Intl Arturo Merino Benitez, em Santiago.




Para acompanhar um pouco o produto oferecido pela agência, segui com o grupo laranja (os clientes eram divididos por grupos de acordo com o destino que tomariam a partir dali), rumo ao Hotel Four Points by Sheraton, feliz de voltar àquela cidade que gosto tanto e sempre me traz agradáveis recordações.

Acomodados no ótimo bairro da Providencia, já no dia seguinte à chegada, nos foi oferecido um City Tour, percorrendo as principais atrações da capital chilena. O passeio começou pelo Palacio de la Moneda, sede do governo chileno. A próxima parada foi na Plaza de las Armas e arredores e em seguida um recorrido pelo centro. Seguimos então para o Cerro San Cristóban, ponto marcante que divide a cidade nos quatro pontos cardeais. Por fim, no charmoso bairro da Vitacura, ponto final do nosso trajeto, fizemos um brinde com o famoso Pisco Sour, bebida típica chilena. Tudo isso guiado pelo bem-humorado Maurício, que num Português quase perfeito, não deixava nenhum detalhe passar batido.





Palacio de La Moneda, sede do governo chileno, e arredores.



Plaza de Armas.


Rodovia Costanera Norte e vista de "Sanhattan" a partir do Cerro San Cristoban.


Vista da cordilheira a partir da Providencia.

Como ficaria em Santiago, acompanhei mais dois passeios, dos vários ofertados como opcionais pela empresa. Primeiro, uma visita à vinícola Concha y Toro, onde degustamos alguns vinhos e acompanhamos de perto partes da produção da bebida. Muito interessante.







Antes de ir embora, um passeio pelas estações de ski próximas a Santiago, começando pelo famoso Valle Nevado, seguindo até El Colorado, La Parva e terminando em Farrillones. Um passeio encantador, não me resta dúvidas de porque é a cereja do bolo para aqueles que visitam Santiago.


Caminho para as estações de ski - são quase 60 curvas, muitas delas de 180º, até o Valle Nevado.






Estação de ski Valle Nevado.


El Colorado: cidade de Santiago escondida em meio à poluição e panorâmica do caminho.


Estações Farrillones e El Colorado.
Enfim, chegava a terça-feira, dia 27 de julho e também o dia de partir. Como na chegada, foi oferecido um transfer a partir do hotel, que às 17:05 nos deixaria no aeroporto em tempo mais que hábil para o check-in. No aeroporto, a LAN nos reservou 4 posições entre o check-in doméstico e internacional. O processo começou lento, mas a medida que todas as posições foram abertas, não levou muito tempo.



Saguão e embarque no Aeroporto Intl Arturo Merino Benitez, em Santiago.

Com o cartão de embarque na mão e malas despachadas, não me restava muito senão seguir ao embarque, que naquele momento não apresentava filas. O único porém seria uma senhora, que após repetidas passagens pelo raio-x, se irritou e causou um certo tumulto. Coisas comuns no mundo pós-11 de setembro.

Últimas lembranças compradas no free shop, logo segui ao portão indicado no cartão, 20A. Como não havia consultado o painel de informações, não percebi que o mesmo havia mudado para o 12. Mais tarde haveria outra mudança, essa definitiva, para o portão 17A.


Já na sala de embarque internacional, aguardando o LAN1350 direto para Belo Horizonte.

Com um pequeno atraso, às 20:10 era feita a chamada do LAN1350, nosso voo. Nos mesmos moldes do voo da ida, organizadamente os passageiros iam ocupando o Airbus A320 de matrícula CC-COI, que assim como o CC-COM, foi fabricado em 2001 tendo como operador anterior a extinta subsidiária LAN Express. Curiosamente, essa mesma aeronave já esteve em Confins há alguns anos, também cumprindo um frete para Santiago.

Com pouca espera, o embarque se encerrou e com o fechamento das portas, quase instantaneamente iniciamos nosso pushback e taxi para a pista 17L, que estava em uso naquele momento. Dessa vez os procedimentos de segurança foram exibidos do modo tradicional. Por alguma razão, as telas de entretenimento não estava disponíveis naquele voo.

Ainda aguardamos o pouso de outro A320 da LAN, mas logo às 20:40, iniciávamos nossa corrida rumo ao escuro e enfumaçado céu de Santiago, cumprindo a saída por instrumentos ALBAL 1. Desde esse momento até o término do cruzamento das Cordilheiras, como procedimento padrão, os avisos de atar cinto permaneceram ligados. Tão logo os avisos foram apagados, os comissários reiniciaram o serviço que havia sido interrompido por causa da rápida partida: distribuição de fones de ouvido, formulários de imigração e jornais locais (El Mercúrio e La Tercera). O comandante também se apresentou e nos informou a hora prevista chegada em BH, que seria à 01:25 horário local, além da informação de rota. Voaríamos a 35.000 pés, sobrevoando as cidades de Mendoza, Cordoba e Posadas na Argentina e Curitiba e São Paulo, até chegar a Belo Horizonte. Naquele momento, a temperatura na capital mineira era de 17 graus.

Com aproximadamente 1h de voo, iniciava-se o serviço de bordo, idêntico ao da ida e bom na mesma medida. Aqui cabe destacar o bom trabalho da comissária Macarena, que atendia a parte em que eu estava sentado. Mesmo com as dificuldades do nosso portunhol, atendeu os inúmeros (e foram muitos mesmo) chamados com muita cortesia e simpatia. Coisa rara nos dias de hoje.


A equipe foi muito atenciosa e a refeição bastante saborosa.

Com os ventos de rota a favor, o caminho inverso acaba por ser aproximadamente 1h mais rápido e logo que o serviço de bordo se encerrou, próximo ao cruzamento da cidade de São Paulo, o comandante nos informou a previsão de pouso em mais 50 minutos.

Às 01:30, o nosso CC-COI tocava a pista de Confins numa frenagem bem suave, deixando a pista na última saída. Rapidamente, taxiamos até o portão 9, tendo o desembarque iniciado 10 minutos após o pouso. Aproveitei para tirar as últimas fotos da aeronave.


Os cabeçotes das poltronas eram personalizados com a marca da Snow Adventure.



O processo de imigração foi bem rápido, talvez pelo fato de todos os passageiros serem brasileiros e também as quatro cabines estarem em funcionamento. Ainda pude conferir o free shop do desembarque, que apesar de pequeno, atendeu e superou minhas expectativas, com funcionários educados e rapidez na fila de pagamento. Com a alfândega fechada, todos os passageiros eram liberados automaticamente para seguirem ao saguão do aeroporto. Chegava ao fim a nossa divertida jornada.

Esperamos que todos tenham gostado da nossa cobertura desse excelente produto que foi comercializado pela Snow Adventure. Registramos nossos agradecimentos a toda equipe da operadora, em especial ao André Vieira, Rafael Vieira e Anderson Souza pelo gentil convite e magnífico tratamento. Para mais informações sobre os pacotes e serviços acesse o site www.snowadventure.com.br .


Voltar ao início

5 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom galera do CNF ao vivo

Paulo Cunha disse...

Parabéns Igor e equipe do CNF Ao Vivo pela produção desta reportagem. Foi muito bacana!
Abs, Paulo Cunha - Outra Visão Comunicação

Igor disse...

Onde consigo essa viagem com quem ?
Qual agencia ? Onde fica ? Eu querooooooooooo

Anônimo disse...

as ultimas fotos nao aparecem no site, favor atualizar.

Diego - CNF ao vivo! disse...

Aqui aparecem normalmente. Deve ter um problema temporário do host de fotos. Abs.