Aeroporto Internacional Tancredo Neves - 25 anos de história - Parte IV



Chegamos na última parte da nossa matéria especial. Após a transferência dos voos da Pampulha, o Aeroporto de Confins entrou numa nova fase, marcada por muito crescimento e novas ligações.


27.03.2010 - CNF ao vivo.


Em março de 2005 o Aeroporto Internacional Tancredo Neves já estava em nova fase. Na primeira semana após a transferência surgiram as primeiras mudanças com adição de novos voos, a introdução do Boeing 737-800 em alguns voos para Belo Horizonte (o modelo não operava na Pampulha). Era também época dos corujões, onde as companhias buscavam aumentar a utilização diária das aeronaves com voos durante a madrugada. O aeroporto ganhou então uma ligação direta para Recife, que até então não existia em Belo Horizonte. Aos poucos o terminal foi ganhando mais frequências e ligações diretas com outros destinos. A Gol foi a companhia que melhor aproveitou esse novo fôlego do mercado mineiro, tomando-se líder em número de voos. A companhia logo anunciou a construção do seu centro de manutenção no aeroporto.




A OceanAir iniciou as operações em Confins com os Fokker 50 e depois trouxe também os Fokker 100. O Boeing 767-300ER cumpriu alguns fretes no curto período em que esteve na frota.


Em setembro de 2006 a Gol inaugurou suas instalações em Confins. Com 18.500m² de área construída, o complexo era formado na época por dois hangares, sendo um de manutenção e outro de pintura, além de prédio administrativo. O investimento foi de 31 milhões de reais, com a geração imediata de 240 empregos diretos.

No final de 2006 os voos internacionais começaram a voltar. As companhias TAM e Gol passaram a oferecer voos para Buenos Aires com escalas no Galeão e em Guarulhos respectivamente. Apesar das paradas, esses voos possibilitaram a reabertura da sala de embarque A (internacional), dando aos passageiros a condição de resolver os trâmites de polícia e receita federal no próprio terminal. Encerrado o ano, o movimento de passageiros registrado foi de 3.727.501 em Confins e de 801.000 na Pampulha, dando um movimento total para Belo Horizonte de 4.528.501 passageiros. A título de comparação, em 2004 o movimento dos dois aeroportos somados foi de 3.492.075. Um crescimento de 30% para a capital mineira em 2006.

Com o intenso trabalho do Governo de Minas através da Secretaria de Estado de Turismo (Setur-MG) o foco estava no Aeroporto Internacional Tancredo Neves. O objetivo passou a ser as ligações internacionais sem escalas, principalmente para Europa e Estados Unidos. Em outubro de 2007 a TAP Portugal anunciou os voos diretos entre Lisboa e Belo Horizonte, que foram iniciados em fevereiro de 2008. Os voos TP141/140 operam 5 vezes por semana com Airbus A330-200 com 268 assentos.



Em julho de 2008, depois de entendimentos entre as autoridades brasileira e americana, o acordo bilateral entre os dois países foi revisado, oferecendo mais 49 frequências para as companhias americanas, divididas em três rodadas sendo 21 em 2008, 14 em 2009 e 14 em 2010. Para a primeira distribuição a Delta Airlines solicitou voar 3 vezes por semana na rota Atlanta-Belo Horizonte, com Boeing 767-300ER, e a American Airlines pediu 3 vezes por semana no trecho Miami-Belo Horizonte. Como outras rotas foram solicitadas, não houve frequência suficiente para que a Delta voasse para Confins. A American levou 3 voos semanais e entrou com um processo separado e levou mais uma frequência que estava em poder da United Airlines, mas sem uso. Os voos começariam em novembro de 2008.

Em 21 de agosto de 2008 foi a vez da Copa Airlines iniciar suas operações, ligando Belo Horizonte a Cidade do Panamá. A companhia entrou com 5 frequências semanais, operadas por Boeing 737-700WL com 124 assentos.

Em novembro a American Airlines voltou a voar para Belo Horizonte, dessa vez com voos diretos de Miami para Confins. A ligação foi sucesso imediato, superando todas as expectativas da companhia. O mercado mineiro respondeu tão bem que a expectativa para 2010 é de que os voos se tornem diários. Atualmente os voos são realizados 4 vezes por semana com Boeing 767-300ER com 225 assentos.





Muitas ligações novas surgiram de 2005 até agora. Hoje Confins tem voos domésticos diretos para 11 capitais (veja o mapa de rotas) e mais 4 importantes cidades. Para o exterior são 3 destinos sem escalas (Miami, Lisboa e Cidade do Panamá) e mais 2 com escala (Buenos Aires e Paris). Operam regularmente em Confins as companhias aéreas Gol, TAM, Webjet, OceanAir, Trip, Azul, TAP Portugal, Copa Airlines e American Airlines.

Em março de 2010 a Gol inaugurou a expansão do centro de manutenção, adicionando mais um hangar e uma extensa área de almoxarifado, depósitos, escritórios e outras áreas de apoio, aumentando a área construída para 45.600m² O pátio do centro também foi ampliado, passando de 27.000m² para 47.000m². A capacidade de atendimento foi de 60 para 120 aeronaves, o que vai permitir a companhia prestar serviços de manutenção para outras empresas.

Para o restante do ano são esperadas novidades como voos diretos para Buenos Aires e novas ligações diretas dentro do Brasil. Na parte de infra-estrutura o aeroporto deverá ganhar a ampliação da pista de 3.000 para 3.600 metros, possibilitando a operação de voos cargueiros sem restrições. O terminal de passageiros deverá ser reformado já mirando a Copa do Mundo de 2014, e um novo pátio de aeronaves deverá ser construído. Os usuários esperavam mais da Infraero e do governo federal, com a construção da primeira fase do terminal 2, mas infelizmente ao que tudo indica isso não será feito a curto prazo.


A Webjet tem presença considerável e a LAN Cargo segue operando seus voos entre Miami e Confins.

Trip e Azul chegaram em 2009.


Completando hoje (28/03) 26 anos de sua inauguração oficial, o Aeroporto Internacional Tancredo Neves é hoje orgulho para os mineiros, principalmente de Belo Horizonte. Com o movimento do último ano tendo superado a marca de 5,6 milhões de passageiros, fica clara a necessidade de uma resposta traduzida em investimentos. Com o governo de Minas fazendo a sua parte no incentivo, na elaboração de projetos e até na disponibilização de recursos financeiros, a região metropolitana de Belo Horizonte aguarda pelas obras que vão dar início a uma outra fase, tal como feito em 2005. Trata-se de uma necessidade que precisa estar acima de qualquer questão política, em nome do desenvolvimento de um estado que responde por quase 10% do PIB nacional e cuja capital cresce a passos largos no turismo de lazer e de negócios.

O CNF ao vivo encerra esta homenagem, desejando sucesso e desenvolvimento ao Tancredo Neves ou simplesmente Confins como já ficou conhecido.



© CNF ao vivo. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial.



< Voltar ao início

3 comentários:

Allysson Augusto disse...

Queria dar meus parabéns ao CNF Ao Vivo pela homenagem ao CNF, é com muito orgulho que nós mineiros amamos esse aeroporto e esperamos pelos investimentos do GF e da Infraero. Espero ver CNF como um HUB e ser tão importante para o Brasil como GRU e GIG são e que cada vez mais tenhamos ligações internacionais no nosso aero.

Marcus disse...

SHOW!!! Parabens ao CNF ao VIVO. Essa matéria nos faz orgulhar mais do nosso aeroporto e reforça o sentimento de incentivo para sempre melhorar-mos a porta de entrada de Minas.

Anônimo disse...

Parabéns ao CNF. Através da materia pude ver como foi a história da construção de um marco na história de Belo Horizonte e também Minas Gerais.
Torço para que nossa terra do "pão de queijo" continue sempre crescendo e esteja nas rotas mais importantes.